Alexandre Canhoni, que ficou conhecido como o paquito Xand do "Xou da Xuxa" nos anos 1990, mora com Giovana, sua esposa em Niamey, capital do Níger desde 2002. Eles adotaram 19 filhos e desenvolvem vários projetos assistenciais no país com menor IDH do mundo, segundo a ONU. Desde criança Alexandre levava jeito para ser artista e um dos primeiros comerciais que fez foi do Io-Iô Cream. Iniciou na música como baterista em duas bandas, depois participou de um grupo de street dancing e começaram as apresentações em programas de TV regionais. Com um amigo e um violão, ele começou a tocar na noite e tomou gosto pelo microfone. Quando a Rede Globo abriu as inscrições do concurso para ser Paquito do Xou da Xuxa, Alexandre já queria muito ser famoso e era uma pessoa extrovertida e ousada. Quando ele percebeu que escolheriam um vocalista, usou de sua criatividade e deu um jeito de estar no lugar certo, na hora certa, mesmo sem ter sido escalado para o teste naquele dia. Saiu de lá contratado e em meio a 7.500 candidatos seu grande topete loiro naquele momento fez toda a diferença. Enfim, Alexandre Canhoni dava lugar ao Xand. E ele teve a oportunidade de aprender com os grandes profissionais da época, produção musical com Michael Sullivan e Paulo Massadas, arranjos musicais com Ary Sterling e Lincoln Olivetti, preparação de atores com o diretor Ruy Barbosa, cinema com a diretora Tizuka Yamasaki, coreografia com Oswald Berry, contracenou com talentos como Ana Paula Arósio e Sérgio Malandro, participou de especiais de final de ano, diversos programas de televisão e sob o comando de Marlene Matos fez três turnês nacionais e duas turnês internacionais com o Xou da Xuxa. Mas, toda aquela estrutura de produção e divulgação, não proporcionava a ele a liberdade para criar, compor, produzir e interpretar músicas ao vivo uma vez que todas as apresentações eram em playback. O desejo de poder desenvolver suas ideias o levou a pedir demissão e buscar a carreira solo. Pode-se dizer que a fama lhe subiu a cabeça e Xand logo se tornou uma pessoa ansiosa, egoísta e irritada. Mas, no ano de 1995 ele teve um encontro com Cristo, sua vida mudou e ele decidiu cantar apenas música gospel e começou a testemunhar em igrejas no Brasil e Estados Unidos sobre sua conversão. Em 2001 Xand se casou com Giovana, filha de pastores evangélicos, e iniciou uma família. Então no ano seguinte o casal, desejando ajudar aos necessitados, resolveu abrir mão do conforto, mudar para o Niger e começar uma história muito diferente em todos os sentidos. Praticamente duas décadas depois, além de terem formado uma grande família adotando 19 filhos, sua ONG mantém quatro creches, 11 projetos de nutrição pelas vilas no país e duas escolas de costura. Também realiza trabalho de evangelização na prisão e no hospital da capital, onde construiu uma brinquedoteca e tem parceria com uma escola para cegos. Contam com um centro esportivo e seis equipes de futebol para evangelização e ações com refugiados. Alexandre Canhoni, tem o trabalho musical como uma das formas de levantar sustento para a obra e já gravou em parceria músicas com Nívea Soares, Régis Danese, Ludmila Ferber e outros. Estando essa temporada no Brasil durante a pandemia, Xand segue alcançando vidas com o projeto Tive Fome e Me Destes de Comer, distribuindo alimentos em comunidades carentes. Saiba mais sobre os programas assistenciais no site www.agdniger.com youtube.com/alexandrecanhoni instagram.com/alexandrecanhonioficial Para mais informações, ligue para (11) 96571-4533 - Giovana Canhoni
Instagram alexandrecanhonioficial Instagram agdniger YouTube YouTube

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem