A canção “Amigo de Deus”, um clássico da música cristã, de autoria de Adhemar de 
Campos e Kleber Ferraz, volta a ser destaque no cenário musical em uma nova versão que 
conta com a participação primorosa do amigo Paulo César Baruk. A canção, que sai pela 
gravadora Uni Records, integra o projeto especial, intitulado “70 Anos de Adhemar de 
Campos”. Adhemar explica que esse trabalho é a celebração da vida que recebeu de Cristo, 
transformada em música e poesia: “Além de ter minha família, que me completa totalmente, 
pude contar com a participação mais que especial de Paulo César Baruk, Nívea Soares, Eli 
Soares, dos meus filhos Rodrigo e Mariana e do time de músicos e vocalistas que
enriqueceram em muito o projeto.”
Adhemar de Campos é pastor, cantor, músico e compositor, um dos mais notórios 
ministros de louvor e adoração do Brasil, cuja história se confunde com a da música 
evangélica brasileira. Com mais de 50 anos de vida com Cristo, suas obras ajudam 
milhares de pessoas a vivenciarem a presença de Deus de modo íntimo e profundo. Seu 
primeiro trabalho, “Mil Razões”, foi gravado em 1985; em 1987, foi pioneiro na gravação 
ao vivo de músicas cristãs com o álbum “Testemunho de Louvor”.
Ele conta que a canção “Amigo de Deus” nasceu em 1995 no coração dele e do Kleber 
Ferraz em uma experiência marcante e inesquecível durante um ensaio e que, “ao longo 
dos anos, tornou-se conhecida e cantada nas igrejas. Ela segue abençoando milhares de
pessoas. Agora, todos podem ouvi-la nesse lindo projeto, no qual tive o privilégio da 
participação do meu amigo Paulo César Baruk. Desfrute!”.
Adhemar de Campos e Paulo César Baruk são amigos há vinte anos, “um amigo muito 
próximo do coração, tipo um irmão mais novo”. Ele fala com carinho da admirável 
disponibilidade que “o amigo Baruk tem para servir e abençoar, além do talento musical de 
nível elevadíssimo e inspirador reconhecido mundialmente. As versões anteriores são 
maravilhosas, têm identidade própria, mas nesta havia uma atmosfera de amor indescritível.
Certamente, um dos momentos mais marcantes durante a gravação”.
Adhemar frisa que este single tem um significado muito forte: “O assunto amizade com 
Deus é inexplicável. Aparentemente, algo improvável, no entanto, tão real e palpável. 
Significa muito ser amigo de alguém que nos ama tanto, que preenche todos os vazios, que 
você é levado a espalhar amor por todo o mundo.”
Ele diz que seu maior desafio e sua maior gratificação em fazer a obra de Deus por meio 
das suas canções nesses 70 anos de idade é “crescer no conhecimento de Deus e da Sua 
Palavra e manter o foco em Cristo rigidamente. Não há alegria maior do que ver alguém
liberto, transformado. Sou grandemente abençoado ao vivenciar isso em todos esses anos. E 
se eu pudesse definir meu ministério em uma frase, seria: ‘uma poderosa conversão a Cristo, 
às Escrituras Sagradas e à música divina’”.
Com alegria, o cantor relembra os momentos nos bastidores do projeto: “Apesar da 
inevitável ansiedade que antecede uma gravação, foi muito especial notar que todos os 
técnicos e organizadores envolvidos estavam entrosados, foram extremamente competentes 
e somaram muito para o resultado positivo do projeto.”

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem